SIBE - Sociedad de Etnomusicología
Explore TRANS:
By Issue >
By Article >
By Author >

Loading


Share |
Suscribir RSS Suscribir RSS Feed

SIBE
Blog Observatorio de Prácticas Musicales Emergentes
ETNO Revista de música y cultura
IASPM - Espana
Musicalogía feminista
ICTM
IASPM - International Association for the Study of Popular Music

< Back

Discos na Revolução: A produção fonográfica da canção de protesto em Portugal na senda da Revolução do 25 de Abril de 1974

Hugo Castro (Universidade Nova de Lisboa)

Descargar / Download PDF >  Descargar / Download PDF >


Resumen

Embora a canção de protesto em Portugal tivesse sido configurada, em parte, durante o período ditatorial que antecedeu a Revolução do 25 de Abril de 1974, é já num contexto revolucionário que esta expressão musical foi difundida em grande escala, adquirindo uma posição de destaque no panorama musical português. Este artigo analisa a produção fonográfica durante os anos que permeiam a revolução, tendo como principal enfoque os discos que foram editados nesse período. Partindo da abordagem a processos de mediatização que envolveram músicos, editoras e outros agentes ligados à produção fonográfica e tendo em conta diferentes perspetivas para a edição e comercialização de produtos fonográficos, são exploradas as formas como o repertório da canção de protesto, fortemente embrenhado na conjuntura política, social e cultural do país, é reconfigurado neste período.

Palabras clave: Canção de protesto, produção fonográfica, editoras discográficas, Portugal, ditadura, Revolução 25 de Abril 1974.

 

Abstract

While protest song in Portugal had been configured in part during the dictatorship that preceded the Revolution of the 25 April 1974, it is in a revolutionary context that this musical expression was spread on a large scale, acquiring a prominent position in the Portuguese music scene. This article examines the record production during the years that permeated the revolution, having as main focus the records that were published during this period. Starting from the approach to mediation proceedings involving musicians, record companies and others connected to the phonographic production, and taking into account different perspectives to the edition and sale of phonographic products, I explore the ways by which the repertoire of protest songs, heavily engrossed in the situation political, social and cultural development, is reconfigured in this period.

Keywords: Protest song, phonographic production, record companies, Portugal, dictatorship, Revolution 25 April 1974.


Fecha de recepción: octubre 2014
Fecha de aceptación: mayo 2015
Fecha de publicación: octubre 2015

Received: October 2014
Acceptance Date: May 2015
Release Date: October 2015

 



Top >


TRANS - Revista Transcultural de Música